domingo, 26 de abril de 2009

Site irreverente na internet faz gozação com Bom Jardim

A mania dos friburguenses de fazerem gozações com Bom Jardim, chamando a cidade de “bairro pobre de Friburgo”, “terra do chuchu”, “lugar onde o vento faz a curva”, “terra de índio” e outros apelidos pejorativos chegou também à internet. O site Desciclopédia (http://desciclopedia.org), uma cópia irreverente do famoso Wikipédia – e que não tem nada a ver com o secretário de Turismo Déscio Frerie – em verbete/tópico provavelmente postado por um gozador friburguense, trata assim o ao município (esperamos que os bom-jardinenses reajam a altura):

Bom Jardim (Rio de Janeiro)
Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.




FOTO: Centro cosmopolita de Bom Jardim, com suas edificações monstruosas.


PS: Ainda não identifiquei onde fica esse lugar da foto... Alguém pode me dizer?


Bom Jardim é o nome de um bairro de município vizinho a Nova Friburgo. É muito conhecido pela população friburguense devido ao seu zoológico, o maior da região, ganhando até da câmara dos vereadores, de ambos os municípios, em número de animais por metro quadrado. Mas Bom Jardim também é muito popular no Estado do Rio de Janeiro; se você perguntar a alguém se conhece "aquele lugar próximo a Nova Friburgo, com um zoológico" a qualquer fluminense, ele saberá na hora do que se trata.

Principais Atividades Econômicas

A principal atividade econômica do bairro município de Bom Jardim está toda concentrada na área do lazer. Nos fins de semana, os maiores empresários do lugar, ou seja, os pipoqueiros e os malabaristas de plantão, ficam à porta do zoológico esperando por turistas friburguenses ociosos que vão visitar o local pela quinquagésima nona vez naquele ano, devido à falta absoluta do que fazer em Friburgo.
Outra atividade econômica também bastante rentável em Bom Jardim é a colheta (sic) do dízimo, realizada pelo prefeito da cidade, já que o IPTU arrecadado (Imposto Territorial Urbano) e os padres são todos de Nova Friburgo, que nem sempre está disposta a ceder seus impostos e seus eclesiásticos a esse bairro município. O prefeito, também conhecido na cidade como "cacique", se justifica afirmando que, para crer que Bom Jardim existe, é necessária muita fé.

Saúde e Educação
 
A saúde em Bom Jardim é uma das poucas de primeiro mundo no país. As pessoas doentes têm que se deslocar apenas, muitas vezes, a áreas muito próximas do centro para serem tratadas, no hospital municipal da cidade (que fica em Friburgo), o Raul Sertã, sempre muito limpo e bem equipado. Algumas outras, que vivem em lugares onde o vento faz a curva, como o centro de Bom Jardim, podem optar pela Oca de Saúde mais próxima e esperar na fila pelo atendimento do Pajé.
A educação também não fica para trás. Desde cedo as crianças são instruídas no idioma tupi e, mais tarde, aos 18 anos, chegam até mesmo a conseguir fazer conta com números fracionários! Depois, esses orgulhosos filhos de Bom Jardim conseguem uma das tão sonhadas vagas em algum dos disputadíssimos cursos oferecidos por faculdades exigentíssimas como a Universidade Estácio de Sá.

População

• Em Fins de Semana: 100 pessoas.
• Em Meio de Semana: 10 pessoas.

OBS: na verdade, tal disparidade pode ser explicada por um motivo simples: no meio da semana, cidadãos bonjardinenses que não são inválidos aposentados estão em Nova Friburgo, trabalhando ou estudando.

Curiosidade

O relógio da principal igreja católica de Bom Jardim tem um "IIII" ao invés de "IV".

9 comentários:

Anônimo disse...

Prezados Amigos do Jornal Mais BJ

Todo jornal aumenta a sua importância quando permite a interação com seu público, parabéns pelo blog e pelo trabalho de vocês.

Por me considerar um Bomjardinense autêntico, senti-me ofendido pelas mentiras e gozações que foram publicadas na Internet sobre a nossa querida cidade, assim resolvi mostrar a esses webidiotas que nada, ou quase nada, eles conhecem desse nosso pequeno pedaço do paraíso incrustado na região serrana do RJ.
Vou tentar responder seguindo a ordem das suas mentiras:
Desde 1893 que temos o orgulho de ser um Município emancipado e independente, nova Friburgo é para nós somente um ponto de passagem onde aproveitamos para realizar algumas coisinhas, como por exemplo: fazer compras, ir ao médico, estudar, ir ao cinema, bons restaurantes, alguns shows ou festas, pequenas coisas que não são prioridades em nossos dia a dia.
Somos orgulhosos de nosso zoológico municipal, principalmente pelos “macacos e micos” que lá criamos, é bem verdade que seus co-irmãos friburguenses os visitam nos finais de semana, mas, podemos oferecer outros atrativos turísticos aos nossos visitantes, como a Gruta do Mão de Luva (enquanto não ficar inundada), a Pedra Aguda ( se tiver estrada transitável) o Cinema (quando acabar as obras de restauração) e nossas lindas e magestosas praças.
È uma INDECÊNCIA comparar nossos vereadores a animais, pois saibam que todos são excelentes pessoas e muito bons de votos. Dos 9 vereadores que temos 2 tem nível superior completo (mais de 20% da câmara) e dos seus dezoito assessores parlamentares (cada vereador tem direito a dois) pelo menos DEZ sabem onde fica a Câmara Municipal e os dias de sessões, e o mais importante: todos (100%) sabem onde fica o banco onde recebem os seus salários.
Não é verdade que nosso Prefeito cobre dízimo de nossos munícipes, o que ele inteligentemente fez foi dar emprego a Diretoria da Pastoral da Igreja na prefeitura municipal, assim aumentando as suas rendas, aumenta-se os dízimos, isto é muito diferente de “cobrar”. Nosso governante é adepto do princípio bíblico que diz “ É dando que se recebe”.
Sobre desenvolvimento econômico, nosso município é um dos mais desenvolvidos do Estado, temos um efetivo de quase 2.000 pessoas trabalhando na produção de lingeries, se bem que o CAGED (cadastro geral de empregados e desempregados do MTE ) mostre um número bem menor, mas o importante não é ter carteira assinada, nem pagar impostos, o importante é trabalhar. E pasmem, até o final de 2010 estaremos em funcionamento com duas usinas geradoras de energia elétrica, estaremos vendendo energia para o Sistema Nacional ajudando o Brasil a nunca mais ter “apagões”, é bem verdade que ainda temos umas 100 propriedades rurais sem energia elétrica, mas isso são questões técnicas.
Nossa Saúde “Vai Muito Bem, Obrigado”, é MENTIRA que mandamos nossos enfermos para o Hospital Raul Sertã ( mandamos também para o São Lucas, Pedro Ernesto, Getulio Vargas, Antonio Pedro, Hospital Universitário do Fundão, entre outros) . Nossa frota de ambulâncias é uma das maiores na relação veículo/habitante, são mais de dez veículos e ainda temos os carros da Prefeitura Municipal e da Câmara de Vereadores que diariamente transportam pacientes aos grandes centros como Rio de Janeiro e Niterói para seus tratamentos médicos. É bem verdade que não temos ecocardiógrafos, tomógrafos computadorizados, UTI, mas isso são questões técnicas.
Em termos de Educação nossos índices são excelentes, temos a fenomenal média de 10,7 alunos para cada professor (na rede pública), muito melhor que a média nacional que é de 35,5 e da Argentina, por exemplo, que é de 17,7 , perdemos somente para os países nórdicos, mas ao continuar na mesma proporção de estudantes e professores contratados, até o final do século teremos 10 professores para cada aluno, aí veremos Finlândia, Noruega, Dinamarca, etc., somente pelo retrovisor. É bem verdade que nosso desempenho no IDEB ainda é humilde ( 3,9 para a média nacional de 4,8) mais isso se deve ao fato de terem avaliado somente 6 seis escolas do nosso imenso universo de 23 escolas públicas, mas isso são questões técnicas. Ainda sobre Educação, é muito grande o número de graduados em nível superior dos nossos habitantes, temos mais Advogados do que Dentistas ( é bem verdade que poucos conseguem passar na prova da OAB) mais não faz mal, são bacharéis; e administradores então, é um número incalculável de professoras, agentes de saúde, balconistas que tem este diploma, não exercem a função mas são formados e ainda temos um número crescente de estudantes (é só ver a quantidade de ônibus que a prefeitura municipal coloca para o transporte desses alunos às faculdades nos municípios vizinhos).

Por todas essas CALÚNIAS e INVERDADES que falam sobre o nosso Município é que me sinto na obrigação de mostrar a VERDADE dos fatos aos leitores desse conceituado jornal, aliás, o único no mundo especializado em Bom Jardim.

Minhas Cordiais Saudações

Juka da Lika


Um Bomjardinense autêntico, mas atualmente morando em Nova Friburgo.

Cesar Carvalho (Kzar) disse...

Amigo João (vou chamá-lo de João, pois não gosto de chamar ninguém de anônimo), obrigado pelos comentários à matéria no meu blog. Infelizmente, o diretor do jornal não gostou da matéria que tirei do site Desciclopédia e, muito menos, dos comentários e me pediu para retirá-los do blog do jornal (a censura aqui funciona mesmo). Infelizmente, não temos mais os jornais O Bonde Ribeironense (do colega Marlon) e nem O Rodo (do meu amigo João Carlos Jund), pra gente poder colocar nele as coisas "censuradas" aqui no J+BJ.
Aliás, o João, percebendo algum senso crítico em meus comentários na minha coluna "Colunotas" (que também vivia sendo "censurada", até que desisti de fazê-la), chegou a me convidar para escrever para O Rodo, mas ele acabou antes mesmo que eu começasse a colocar a caneta no papel, ou melhor, o dedo no teclado e começar a disparar minha metralhadora giratória para todos os lados.
Mas, espero que o João um dia volte com O Rodo, ou que pelo menos, reative ou refaça o blog do mesmo, que está parado. Terei prazer em mandar meus escritos também para esse novo blog. Acorda e vamos sair da mesmice, Bom Jardim!

Marlon disse...

É, Cesar, "a coisa" é pior do que muita gente pensa... Ou, parafraseando um amigo: "depois que inventaram o 'tá ruim', nunca mais ficou bom".

Mas essa informação da censura que você sofre no jornal onde trabalha é realmente uma lástima (cuidado para o seu chefe não ler esse blog!).

Infelizmente sou obrigado a confessar que não me surpreendo: jornais tendenciosos e bajuladores em cidades pequenas são a regra. Geralmente são mantidos pelos recursos oriundos da publicação dos atos oficiais e de propagandas instituicionais.

O Bonde Ribeironense fugiu à regra enquanto esteve ativo. Mas ele não morreu. Está apenas adormecido.

Um abraço e boa sorte.

Cesar Carvalho (Kzar) disse...

Obrigado, Marlon, por seu comentário, que será sempre bem-vindo! Torço mesmo para que o Bonde e/ou o Rodo voltem à ativa. Nós, jornalistas, temos que ter mais opções de trabalho em nossa região! Já temos duas faculdades de comunicação em Friburgo e os jornais ainda são muito poucos em nossa região para absorver os profissionais que estão sendo formados. Aí, aumenta a procura, mas a oferta de emprego continua baixa. O resultado é que temos salários baixos e, o que é pior, o subemprego.

Getulio disse...

Muito engraçado, quando o torto fala do errado... é lamentavel que certas pessoas por covardia ou por omissão fogem á luta, sem mesmo elas terem começado... Acompanhamos atentos a toda a trajetoria do jornal " O Bonde " e pudemos observar que o mesmo era uma oposição ferrenha ao estado de coisas á epoca e sem nenhuma explicação adormeceu, igual a um urso a hibernar... Deixando claro a situação de seu dirigente, que apos a eleição de seu candidato o O Bonde tornou-se um veículo inutil (como sempre o foi) e criado tao somente para a satisfação pessoal de seu dirigente em combater, brigar, e tentar obter quem sabe algum beneficio disso tudo... é lamentavel a falta de profissionalismo, a falta de garra, a falta de coerencia em certas pessoas, que desistem facilmente da luta sem mesmo elas terem começado...
perseguições, injustiças, calunias etc, isso faz parte de nosso dia a dia, o que não podemos fazer é não nos entregarmos, não nos vendermos e principalmente nos calarmos diante da censura seja ela de onde for, só os covardes e os desprovidos de caratér se entregam ou se calam... a não ser aqueles que passam a fazer parte das benesses do "Rei" e resolvem "adormecer" pra ver o tempo passar e voltam, quando as coisas lhe forem desfavoraveis.

Partido Verde de Bom Jardim disse...

Amigo, Cesar.

Feliz daquele que pode expressar suas opiniões independentemente das reações de uns e outros. PARABÉNS!!! A visão de Bom Jardim colocada no BLOG, com certeza, vai trazer desconforto a muitos e, muitos o olharão de cara feia na rua, porém, opinião de jornalista nem sempre é entendida e bem vinda ( ainda sofro discriminação por isso ). De qualquer forma, poucos tem coragem de atacar os problemas locais com o peito aberto. o Jornal "O RODO" voltará em breve. Problemas administrativos ( falta de tempo e gente com vontade política ) nos levaram a uma pequena pausa ( pequena ). Continuamos investigando e atentos aos acontecimentos. A postura é a mesma. Vamos nos reestruturar e, quem sabe, poderemos contar com a sua irreverência e determinação na busca de informações que possam ajudar a transformar a ditadura local em democracia. Conto com você também.
Mais uma vez, PARABÉNS!!!
João Carlos Jund
Jornalista e Editor do Jornal "O RODO"

Marlon A. Rodrigues da Silva disse...

Infelizmente, só hoje tomei conhecimento das palavras ofensivas de Getúlio postadas acima. Lamento que alguém alfabetizado e a quem julguei bem informado faça um juízo tão equivocado de alguém com quem nunca conversou e, portanto, não conhece. O jornal "O Bonde Ribeironense" NUNCA serviu a quem quer que seja, muito menos ao candidato que esse desinformado insinua que apoiei. Aliás, a julgar pelo que "O Bonde" publicou, o lógico seria acreditar que eu apoiava o João Carlos Jund (vulgo João do PV), que mantinha uma coluna no jornal. Lembra, Getúlio? Se o Getúlio fosse ao menos razoavelmente letrado (coisa que agora duvido) teria lido em várias edições do "Bonde" a informação de que o que mantinha o jornal eram os assinantes e os anunciantes (pequenos empresários), que pagavam valores baixíssimos pelos espaços publicitários. Portanto, maledicente Getúlio, nossa arrecadação era ínfima, mal cobrindo as despesas (às vezes, sequer as cobria). E este foi o único motivo para o fechamento do jornal. Quanto a esta acusação leviana e infundada de que eu teria levado alguma vantagem, desafio não só ao Getúlio (covarde que me ofende às ocultas nos comentários deste blog) mas a qualquer pessoa a dizer qual vantagem obtive do governo. Sou servidor municipal concursado, professor de Matemática, realizando um trabalho de preservação do patrimônio histórico de Bom Jardim na Secretaria de Cultura em metade da carga horária normal de professor, não recebendo, portanto, um centavo a mais por esse trabalho. "É lamentável" que "covardes e desprovidos de caráter", com "falta de profissionalismo", coerência, garra, tenham se recusado a fazer parte do atual governo, preferindo o anonimato a vender sua alma. Entendeu, Getúlio? Quando nos encontrarmos, posso tentar desenhar para que você, analfabeto no conhecimento da alma humana, entenda que existem pessoas de boa índole mas sem dinheiro; que não fogem à luta, apenas não têm como continuar com um salário de professor; que recusam as benesses do "Rei", mas não divulgam isto aos quatro ventos; incorruptível e, talvez por isso, pobre. Enfim, alguém bem diferente de você, maledicente, linguarudo, duas-caras, que fala mal de quem não conhece através da internet mas que trata normalmente com essa pessoa quando se encontra com ela na rua (lembra do empréstimo do rádio comunicador na semana da tragédia da enchente?). Kzar, reivindico meu direito de resposta para que este comentário seja publicado e aproveito para fazer uma crítica: como o comentário de Getúlio foi ofensivo, deveria ter sido recusado ou, pelo menos, eu deveria ter sido informado do que estava sendo dito a meu respeito.

Marlon A. Rodrigues da Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cesar Carvalho (Kzar) disse...

AMIGOS, POR FAVOR, CONTENHAM-SE!
Quero pedir aos queridos amigos leitores e seguidores deste blog, que o mesmo não foi feito para ataques e ofensas pessoais, pois estarão fugindo do propósito do mesmo. Caso as ofensas continuem, serei obrigado a excluir os comentários e bloquear o acesso destes internautas. Obrigado.